A Revista Íntegra, após cinco anos de publicações, chega ao fim.
Convidamos você a conferir esta última edição. Saiba mais...

sexta-feira, 9 de março de 2012

Concluímos por aqui o projeto Íntegra...


O fim da Integra revela o que já vínhamos notando há muito tempo, as meninas da Íntegra se integraram! Ou se desintegraram e voltaram, ou se desintegraram e ficaram, ou partiram para outras bandas para se integrarem de novo.

Na realidade os processos de integração ou mudança aconteceram antes e durante estes cinco anos, se dermos uma olhada no arquivo da Integra podemos observar uma sutil transição de temas. Na sua origem, a missão de prover informações úteis que contribuíssem com a integração das brasileiras na Suíça fica clara nos textos publicados em Novembro de 2007, selecionados do fanzine impresso. A partir de 2008 se expande o espectro de temas e a geografia. Colaboradoras brasileiras vivendo em vários países estrangeiros, e também no Brasil, ainda refletem sobre os seus processos de integração, mas também escrevem sobre cinema, literatura, música, artes plásticas, cultura, política, temas femininos e da atualidade, como podemos ver por exemplo nas edições de Junho, Setembro e Dezembro de 2008. Em 2009, além destes temas, que foram contínuos durante toda a existência do blog, dicas e experiências de viagens aparecem em alguns textos, e passamos também a publicar, além de nossos textos originais, material de outras fontes. Artigos de revistas, jornais, de outros blogs, que achávamos interessantes, pertinentes, e que se enquadravam dentro do universo Íntegra fizeram também parte da revista, como pode ser visto nas edições de Junho, Agosto, e Outubro de 2009. Tivemos algumas edições especiais de Natal (em 2008 e 2010), em celebração ao Dia Internacional da Mulher e sobre criatividade em 2011 até chegarmos a esta edição especial de despedida em 2012.

Nós, que éramos seis - Thaís Aguiar, Cristina Pereira, Magda Hammer, Cecília Zugaib, Miriam Vizentin, Jaciara Rocha - e estivemos presentes em todos estes cinco anos da revista online cruzamos nossos caminhos nesta bela Suíça, e com a exceção da Jaci e Thaís, não nos conhecíamos do Brasil. Foi através da troca sobre as alegrias e curiosidades da vida com nossos parceiros estrangeiros (suíços, alemães, italianos, finlandeses) e as satisfações, choques e decepções nas relações profissionais e sociais vivenciadas em terras estrangeiras que trabalhamos individualmente nossos processos de integração. Estes temas nem sempre figuraram explicitamente na Íntegra, mas contribuíram direta ou indiretamente para seu conteúdo, e sempre estiveram  presentes em nossos encontros e conversas. Cada uma de nós viveu um processo de integração único, motivado por razões completamente diferentes, mas que teve um componente em comum, o fato de sermos brasileiras fora de casa. Fato que nos fez grandes companheiras em jornadas paralelas, e contribuiu para a criação de laços tão íntimos e profundos que certamente acompanharão algumas de nós por toda a vida.

Me sinto privilegiada de ter participado deste projeto com grandes amigas e mulheres admiráveis. Me sinto tão satisfeita e orgulhosa pelas muitas horas e energia que dediquei a Íntegra, projeto que segui neste últimos cincos anos e esteve presente em tantas grandes mudanças na minha vida.

Pensando no decorrer de uma vida, cinco anos parecem nada, mas se só por um momento ignorarmos a linearidade do tempo e multiplicarmos estes cincos anos por seis vidas, temos o correspondente a trinta anos de acontecimentos e experiências. E muito aconteceu nestes trinta anos, casamentos, separações, novos amores, filhos que nasceram, cresceram, que saíram de casa, pessoas muito amadas que partiram, muitas viagens e lugares incríveis descobertos, mudanças de trabalho, de cidade, de país. Alegrias e tristezas profundas, experiências marcantes, inesquecíveis. Infinitas ideias e projetos, inquietude constante, dúvidas sempre presentes. A Íntegra foi tão rica porque nestes cinco anos foi reflexo e refletiu, na realidade não só cinco, mas trinta anos de experiências vividas por nós todas juntas, de uma forma muito única e especial.

Concluímos por aqui o projeto Íntegra, mas o projeto vida segue adiante.

Agradeço às Íntegras companheiras (Cecil, Magda, Miriam, Jaci, Thaís) que ajudaram, dentro das suas possibilidades, a fazer deste projeto um sucesso e que jamais teria sido tão interessante sem a contribuição individual de cada uma de vocês. A todos que colaboraram regular ou esporadicamente com seus textos, opiniões, dicas, fotos e imagens (Luci Macedo, Lis Aguiar, Margarita Wasserman, Carolina Bisacchi, D. Maria (Ludmila Khan), Andrea Cocchiarale, Alice Peixoto, Patricia Flores, Nei Shimada, Marcia Pereira, Marcelina, Jacqueline de Brida, Ana Paula Pereira, Monica Stoll, Irene Gonzales, Marcelo Madeira, Marge Oppliger, Tania Sturzenegger, Noemi Osna) e tornaram a Íntegra mais rica e diversa.

E por fim, agradeço em especial à Thaís, criadora e espinha dorsal da Íntegra, companheira de muitas noites tardias e fins de semana “hackeando” código html, editando textos, selecionando imagens. Me sinto orgulhosa e feliz por ter embarcado nesta viagem contigo, por não termos desistido antes, por termos nos mantido firmes no caminho, apesar do pouco eco, apesar das tantas outras atividades e responsabilidades paralelas. Por termos sempre acreditado acima de tudo que este era um projeto que valia a pena! Estamos concluindo no momento certo. Não publicamos todos os assuntos que desejávamos, não dividimos todas as mil coisas legais que descobrimos e ainda vamos descobrir, não escrevemos todos os textos que sonhávamos, mas produzimos um trabalho lindo, de qualidade e do qual iremos sempre nos orgulhar. As good as it gets my friend.


Cristina Pereira – Winterthur, Suíça


Foto de Nei Shimada do Fotos que eu gosto de bater

5 comentários:

Patrícia Flores disse...

Nossa, ler esse post me deu um nó no coração... É com certeza a mensagem mais triste da Integra. Acredito que vcs tiveram motivos pra chegarem a essa decisão, mas gostaria de dizer que eu não concordo com ela. Se vcs não publicaram "todos os assuntos que desejávamos, não dividimos todas as mil coisas legais que descobrimos e ainda vamos descobrir, não escrevemos todos os textos que sonhávamos, mas produzimos um trabalho lindo, de qualidade", por que parar? Vcs podem talvez publicar menos, com menos frequência, mas por que fechar o espaço? Afinal de contas, é bom saber que quando vcs tiverem uma vontade enorme de desabafar ou de dividir uma experiência legal, triste ou revoltante, que vcs podem usufruir desse espaço. Assim como é bom pra nós leitoras e leitores da Integra poder usufruir desses momentos de inspiração e inquietude de vcs. Enfim, fiquei triste, muito triste com a notícia... Mas, com certeza guardarei os textos sempre na lembrança e no meu coração. E caso, vcs sabiamente desistam de desistir, estarei pronta pra ajudá-las na resistência ;-)

KS Nei disse...

Esse é um fim? É?

Cecilia Zugaib disse...

Sim, que bom ter feito parte desse projeto com vocês. Sua mensagem me emocionou e me fez relembrar os nossos 30 anos de experiência, de tanta coisa que passou nesse rio chamado vida.

Obrgada a todas!

Anônimo disse...

Cris, você tinha razão ... parece que todas acabaram chorando também rsrsrs
Aguardo novos projetos, viu? Miriam

Anônimo disse...

Querida Cris, só agora que a Thaís enviou um email falando sobre o encerramento da Íntegra que parei para ler o blog. Que vergonha!! deveria ter acompanhado mais de perto esse trabalho maravilhoso que vocês fizeram. Mas pelo menos vou poder ler o histórico dos posts, né? Um beijo grande, Grazi