A Revista Íntegra, após cinco anos de publicações, chega ao fim.
Convidamos você a conferir esta última edição. Saiba mais...

domingo, 6 de março de 2011

Sou Ansiosa? Nãããooo...


Nesses últimos três meses, enquanto estava no Brasil, percebi o quanto tem mulheres que sofrem com a sensação de um “vazio no estômago”, a ansiedade! Claro que deve ter no mundo inteiro, mas me refiro particularmente à impressão que tive nestes três últimos meses.

Um dia, marquei com uma amiga para sair...me atrasei uns quinze minutos, quando cheguei no local, ela já estava em pânico, então falei: - Porque não sentou e tomou uma cervejinha? –Ela responde: - Guria sofro de ansiedade crônica!

Outro episódio foi com outra grande parceira que achava que os seus projetos não iam para frente, porque tinha “olho gordo” em volta, mas a menina é um furacão! A mente vai antes do corpo...depois de uma conversa chegamos à conclusão: é a bendita ansiedade.

Num outro dia, fui na casa de uma prima e ela me olha e diz: - Ai guria, não aguento mais tanta ansiedade ...parece que as coisas não andam!!!

Dali uma semana estava eu me preparando para voltar para a Itália...malas para fazer, últimos projetos para finalizar, coisas da minha filha para organizar, filas de banco para enfrentar, contas para pagar, amigas para ver... parecia a última semana da minha vida em Curitiba! O que aconteceu: acabei batendo o carro!!! Vou para casa de uma amiga e ela me indica um calmante homeopático. Saímos para comprar. Na farmácia, na hora de pagar, a menina do caixa analisa o remédio e pergunta para que serve. Eu respondo: - Calmante, para ansiedade. Ela me olha surpresa e diz: - É bom??? Porque se for, eu também preciso, morro de ANSIEDADE...

Ai acabei lembrando do filme da Anna Muylaert, “É Proibido Fumar”, onde Gloria Pires interpreta Baby, uma mulher de 40 anos, professora de violão, que mora e se sente sozinha além de ter muitos problemas com as irmãs. Conhece Max, que se transforma em seu refúgio “protetor”. Para conquistá-lo Baby se esforça para deixar de fumar. Mas, a questão que vou citar não é a solidão do mundo de Baby, nem de Max. Embora, acredito que foi esta “solitudine” que a levou à neura e à ANSIA por um cigarro, que a levou a matar a ex-mulher de Max. Citei este filme não porque tenha relação com a minha história pessoal, mas porque me fez lembrar ao que leva uma pessoa tomada pela ANSIEDADE. Essa sensação que nos faz ter: falta de ar, taquicardia, suores, nervosismo, problemas digestivos e fome exagerada.

Portanto, vamos ficar atentas a esta “maldita”, que chega com os nossos pensamentos e se manifesta nas nossas ações: quebrar vidros, roer as unhas, comer mais, falar besteiras, gastar mais, bater o carro, perder tempo, chorar por nada, fumar, pensar em idiotices, cansar, não respirar, não ver, não olhar, não tocar, não sentir, não cheirar....e nós mães podemos correr o risco de não ver nossos filhos crescerem!

Até que enfim, consegui escrever, já estava ansiosa!

Jaciara Rocha - Curitiba, Brasil

*Imagem "Delighted Woaman" de Nahid Rokhsana
contribuição ao projeto "100 Women, 100 Artworks

2 comentários:

maureen miranda disse...

Delícia de texto, adorei ,me identifiquei!!!...rs bjs, maureen

Marco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.